Contexto SAGRADAS ESCRITURAS, 06.ago.2017, João 6

Disse-lhes pois JESUS: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu;
mas Meu PAI vos dá o verdadeiro pão do céu.
[Êxodo 16.4,8; Salmos 78.23; João 1.9; 6.33,35]
Porque o pão de DEUS é aquELE que desce do céu e dá vida ao mundo.
Porque faz que o Seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.
[João 6.50; 1João 1.1-2]
Disseram-lhe pois: SENHOR, dá-nos sempre desse pão.[João 4.15; Salmos 4.6]
E JESUS lhes disse: EU SOU o pão da vida; aquele que vem a MIM não terá fome;
e quem crê em MIM nunca terá sede.
[Mateus 11.28; João 5.40; 6.41; Apocalipse 7.16; Isaías 49.10; 55.1-3]

[124,915]

fevereiro 28, 2012

A meia verdade, infringindo a Verdade que liberta

[1030]

No intervalo de tempo entre estas duas ações, a Verdade que liberta e a “meia” verdade, acontece a questão que, no íntimo do coração humano, pensa-se que estudam, ensinam e, por conseguinte, pregam as coisas (a Palavra) de Deus;

A coincidência ou concorrência de fatos ou circunstâncias, no acontecimento, ato, na ocasião, pela dificuldade, ou situação embaraçosa, se deixam levar pelo ensejo, oportunidade, na articulação da situação econômica religiosa.

E por esta ocasião favorável, acontece aquilo que é ou existe iniludivelmente, em conformidade das coisas com o conceito que a mente humana forma delas, assim, eis uma verdade do que se diz com o que se sente ou se pensa no intimo dos homens:

Muitos estudam a Palavra de Deus, mas não estudam pela Verdade;
Muitos ensinam a Palavra de Deus, mas não ensinam pela Verdade;
Muitos pregam a Palavra de Deus, mas não pregam pela Verdade.

E o que estudam, senão pela Verdade?
Estudam pelas tradições dos homens, seguem parâmetros religiosos, aplicam a inteligência no sentido de aprender uma ciência ou arte teológica, pelas religiões, por elaboração de cunho puramente humano; transformaram a Palavra de Deus em fonte, não de meditação [Josué 1.8], mas, como forma de aclimação (adaptação) pessoal.
E, demais disto, filho meu, atenta: não há limite para fazer livros, e o muito estudar é enfado da carne” [Eclesiastes 12].

E o que ensinam, senão pela Verdade?
Ensinam tradições humanas, pois, são amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, ingratos, profanos, desprezam o afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, aparentam ter piedade, mas negando a eficácia dela, conduzem pessoas néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; são homens maus e enganadores, enganando e sendo enganados.

E o que pregam, senão pela Verdade?
Por que pregam mentiras forjadas, fábulas, ficção religiosa; testemunham erros, ilusões, vaidade e desbocam em mentiras;

São testemunhas falsas que proferem mentiras, e o que semeiam são contendas; com a sua malícia alegram aos incautos, e com as suas mentiras aos inconstantes...
... no engano dos sentidos, na falsa persuasão, no juízo falso, são médicos que não valem nada; só profetizam do engano do seu coração para causar prazer ou utilidade do próprio ventre.

Por isso que, mesmo que estudem, ensinem e preguem o que não seja a Verdade que liberta, “nada podem contra a verdade, senão pela verdade” [2Coríntios 13].

Enfim, neste misturar, amalgamar, unir, incorporam-se expressões sinônimas, em vez de escolher a verdade, formando outra mesclando os elementos religiosos, as crendices, fantasias, legalismo, mentirinhas, e coisas da carne, tomando conta dos homens e a maioria segue-os, não enxergando a Verdade que liberta, porém, fazendo-se presas na preguiça de buscar a Deus pela Sua Palavra, na pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo, por que a admoestação divina diz através de 2Timóteo 3 que “aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade”!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses da Igreja que Cristo edificou.
.

fevereiro 24, 2012

Remindo tempo para a volta de Cristo e livrando muitos das garras dos lugares “igrejas”

[993], click na imagem para ampliar

Vez por outra, sempre aparece um evangélico disfarçado de “anônimo” dizendo que não há mais tempo em se perder, e que este site fica falando de “igrejas” e que não leva a lugar nenhum...
... mas como não leva a nenhum lugar instruir as pessoas que a maioria dos lugares com placas de “igrejas” é que não levam a lugar nenhum???

Meu compromisso é com Deus, e assumo este espaço para alertar aos que estão sendo enganados nos lugares com placas de “igrejas”, e que, na simplicidade do evangelho como ensinado por Cristo, tenho alertado a muitos de seus maus caminhos;

Porquanto, como os evangélicos mesmo dizem, os lugares com placas de “igrejas” não salvam ninguém, então, não há nenhuma necessidade de frequentá-los, simples assim...

Ninguém, nem eu, somos ganhadores de almas para Jesus, nós, simplesmente, somos invejados pelos anjos [1Pedro 1.12], que desejam atentar aos que atingidos pelo Espírito Santo, ministram as coisas que são anunciadas para salvação de almas, e este mesmo Espírito é quem convence o mundo do pecado, e da justiça e do juízo.

Portanto, quem ganha almas e as convence de Cristo é o Espírito Santo, nós, homens, somos simples instrumentos de Deus para a pregação do evangelho, pois que, se a Deus não se vê, como os incrédulos podem dar-Lhe créditos, assim, somos, pela unção divina, testemunhos de Cristo para que, por nossas ações, muitos possam se edificar pela sã doutrina e achegarem a Deus e não por que se frequenta lugares com placas de “igrejas”!!!

Assim, tenho remido meu tempo em admoestar a muitos que se enclausuram nos “templos” religiosos com placas de “igrejas”, orientando-os pela sã doutrina que nos atinge pela unção do Espírito Santo a que devemos tão somente buscar a Deus e não buscar solução de problemas terrenos, por que é assim que exorta o Senhor Jesus, “buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” [Mateus 6].

Alguns irão dizer que estou indo contra a Palavra de Deus, por que em Provérbios 11 diz que o “fruto do justo é árvore de vida, e o que ganha almas é sábio”, porém, não sou contra a Palavra, simplesmente, dou honra, glória, louvor e poder ao Espírito Santo que, pois, sem Ele, em nada posso convencer, ensinar, fazer lembrar!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses da Igreja que Cristo edificou.
.

fevereiro 20, 2012

Alegoria: Agar, Ismael e os lugares “igrejas”

[950]

Deus havia feito a promessa a Abrão quanto a sua descendência, entretanto, Sarai, estéril, mostrando sua incredulidade em relação a promessa, sugeriu que sua escrava Agar se deitasse com o marido [Gênesis 16].

Agora, muitos querem se dizer filhos de Abraão, e neste sentido podemos ter entendimento quando as Sagradas Escrituras nos testificam que o patriarca teve dois filhos, um da escrava, e outro da livre; todavia, o que era da escrava nasceu segundo a carne, mas, o que era da livre, por promessa [Gênesis 21.2];

Cabe-nos interpretar que, muito embora conhecer a Palavra de Deus não sugere que seja um filho de Abraão conforme a promessa de Deus.

O que se crê por alegoria, porque estas são as duas alianças; uma, gerando filhos para a servidão, que é Agar, pois, é escrava com seus filhos, e assim podemos interpor que as instituições religiosas com placas de “igrejas” sejam como a escrava, foram, ambas, sujeitas a servidão, Agar a Sara e as instituições religiosas aos seus fundadores;

Mas a que é de cima é livre; a qual é mãe de todos nós.
Porque está escrito: “Alegra-te, estéril, que não dás a luz; esforça-te e clama, tu que não estás de parto; porque os filhos da solitária são mais do que os da que tem marido” [Gálatas 4].

Mas, os que não se permitem em contaminar com as coisas religiosas criadas pelas fantasias, crendices, sofisma, dogmas de homens e suas instituições com placas de “igreja”, os que agora somente professam ao Senhor Jesus em qualquer lugar, sendo feitos irmãos de Cristo, são filhos da promessa como Isaque.

Pois que, então, como aquele que era gerado segundo a carne perseguia o que o era segundo o Espírito, assim é também agora; os evangélicos que defendem instituições com placa de “igrejas”, sendo gerados segundo a carne de seus fundadores, querem menosprezar os crentes que se fazem a Igreja de Cristo e pelo Espírito se libertaram da escravidão imposta por homens religiosos, mesmo por que, a Igreja que são pessoas [Efésios 2.22] e não lugares...

Mas que diz a Escritura? Lança fora a escrava e seu filho, porque de modo algum o filho da escrava herdará com o filho da livre.
De maneira que, irmãos, somos filhos, não da escrava, mas da livre.


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses da Igreja que Cristo edificou.

.

fevereiro 16, 2012

Não vou ao lugar igreja; graças a Deus!!

[880]

É um espetáculo capcioso, em argúcia para induzir em erro, o desvio da sã doutrina bíblica ao que se encontra na maioria dos arraiais da religiosidade no sistema religioso;

Sistema religioso são as instituições religiosas, muitas com placas de igrejas; são prédios chamados de templos, os lugares comuns que chamam erroneamente de "igreja"; mais precisamente, a maioria das igrejas evangélicas, católica, enfim, todos os prédios de pedras ou tijolos que os religiosos batizam de "santo";

As religiões (sistema religioso) são fundamentadas e elaboradas por homens e suas crendices, fantasias, dogmas, sofisma, egocentrismo...
... na religião evangélica (lugares com placas de “igrejas”) existe ajuda ao próximo, em muito dos casos, somente aos que de alguma forma favorecem a instituição, geralmente aos mais chegados da liderança...
... na religião da “igreja” católica existe ajuda ao próximo, mas a idolatria é o ponto culminante, porquanto, a fé está em ídolos e contamina aos auxiliados...
... na religião espírita existe ajuda ao próximo, entretanto, os espíritas dizem comunicar-se com os mortos, são obras sem fé no Deus vivo que abomina o que supostamente dizem falar com os mortos... blá, blá, blá
...
Milhares de frequentadores de “templos religiosos” não buscam a Deus para salvação de suas almas, mas, vão atrás de (supostos) milagreiros (verdadeiros charlatões da fé) na esperança (desperdiçada) em resolverem problemas financeiros, de doenças e até amorosos...
... sem deixar de mencionar que muitos frequentadores são ensinados e tentam a barganha (inútil) com Deus entregando dinheiro nas mãos de homens religiosos (pastores, bispos, padres, médiuns) em forma de dízimos e ofertas, afim de receber bênçãos (que nunca chegam).

Por isso, afirmo, com base bíblica não vou ao lugar igreja, por que, Cristo exorta a que sejamos a Sua Igreja...

... com base bíblica não vou ao lugar igreja, por que Cristo exorta que a Igreja são pessoas [Efésios 2.22] e não lugares com placas de igrejas...

... com base bíblica não vou no templo com placa de igreja, por que Cristo exorta a que sejamos o templo do Espírito Santo [1Coríntios 3.16,17; 6.19]...

... com base bíblica não vou ao lugar igreja, por que não preciso barganhar, comprar ou por que nelas supostamente se busca bênçãos ou promessas, pois que, Cristo exorta a nos contentar com o que possuímos [Deuteronômio 26.11; 1Timóteo 6.8], e nem preciso pagar para resolver problemas com doenças, pois, elas estão na carne que é pó e volta para o pó [Gênesis 3.19], aliás, Eliseu, homem de Deus, morreu por doença [2Reis 13.14], preciso sim, é ter minh’alma branca como a neve, lavada e remida no sangue do Cordeiro que nos fez a promessa de vida eterna [1João 2.25] e não de prosperidade material...

... com base bíblica não vou a templos de igrejas, pois, o único templo ao qual Deus derramou de Sua glória [2Crônicas 7.1] foi o de Jerusalém e Cristo derribou e edificou outro, não feito por mãos de homens [Marcos 14.58]...

... com base bíblica não vou a liturgia das igrejas, pois, minha adoração a Deus não tem horários e dias pré determinados, a adoração é em espírito e em verdade e não por músicas e instrumentos...

... com base bíblica não vou ao lugar igreja, por que a comunhão com meus irmãos não limita-se a um lugar específico; não quero dizer que seja errado estar num lugar fixo para se reunir, apenas afirmo que para a adoração ocorrer não é necessário um local específico, meu combate está justamente que muitos dão importância ao lugar com placa de igreja e estes não tem importância por si mesmos, mas, só é importante a presença de Cristo nas reuniões de pessoas que creiam em Deus...

... com base bíblica não vou ao lugar igreja, por que não preciso ajudar a auxiliar pastores que ficam a disposição das instituições religiosas; a sã doutrina nos exorta a que todos devem trabalhar e viver do suor do próprio rosto [Gênesis 3.19], mas, uma vez ou outra, auxiliar aos pastores é uma coisa, entretanto, sustentá-los com suas proles não há respaldo bíblico, volto a dizer com respaldo da Palavra de Deus: todos devem trabalhar e comer o seu próprio pão [2Tessalonicenses 3.6-12].

Esta é uma palavra fiel [1Timóteo 1], e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, nada mais, dos quais eu sou o principal.


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses da Igreja que Cristo edificou.

.

fevereiro 12, 2012

Ser desigrejado é por estar magoado, ou ser expulso de instituição com placa de igreja??

[825]

Não!! De forma nenhuma.
Antes, muitos dos que não frequentam as instituições religiosas com placas de igrejas tiveram o entendimento pelo Espírito Santo que não é necessário estar dentro de um “templo” para se adorar e servir a Deus em espírito e em verdade; que não é necessário estar dentro de um “templo” para ter comunhão ou reunião entre os irmãos em Cristo;

Não há nenhum relato bíblico que testifique da necessidade de se criar ou fundar uma instituição religiosa com placa de igreja.

A Igreja, santa, pura, imaculada, foi edificada por Cristo [Mateus 16]!

Quase sempre em minhas discussões, a maioria dos pastores querem insinuar que sou frustrado, machucado, rancoroso com algum lugar com placa de igreja, ante a minha postura de combater o sistema religioso; porém, não sou rancoroso ou magoado, não fui machucado, não fui expulso de nenhuma instituição com placa de igreja!!

Os fóruns que tenho criado, todos comentários que tenho elaborado, em sua totalidade, estou defendendo a simplicidade do evangelho de Cristo, exorto sobre a salvação, admoesto que as dádivas sejam aos pobres e necessitados e não para os cofres de ministérios e bolsos de ministros; afirmo com base bíblica que homens (e seus títulos religiosos) estão deturpando a Palavra de Deus.

Mesmo por que, “nada podemos contra a verdade, senão pela verdade” [2Coríntios].

Ainda, existem duas passagens bíblicas que precisamos com urgência meditar e pedir entendimento ao SENHOR DEUS em Sua infinita misericórdia e vontade, para não sairmos defendendo tudo o que aparece pela frente e diz que é de Deus!! (Lembremos que, obra por obra, os espíritas e católicos fazem muitas, mas, muitas mais que os evangélicos!!!):

Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitas maravilhas?” [Mateus 7]

Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos” [Mateus 22].

(É importante inserir estes versículos em seus contextos, para depois não dizer que usamos versículos isolados).

Entendam que nós desigrejados, não somos contra os lugares com placas de “igreja” realizarem a obra de Deus, e realizar a obra de Deus não é estar dentro de uma igreja ou instituição religiosa com placa de igreja, realizar a obra de Deus é viver e praticar Mateus 25.31-47, pois, dar um prato de alimento ao necessitado é muito mais agradável aos olhos do Senhor, ao invés de dar todo salário para abastecer os cofres das instituições igrejas negando, assim, a eficácia do amor pregado por Jesus em todos as passagens em o Novo Testamento...

Infelizmente, muitos intitulados “pastores” querem nos subjugar, dizendo que somos contra todas as instituições religiosas com placas de igrejas, pois nelas, estes religiosos profetizam, ensinam, realizam maravilhas pelo nome de Jesus, e não é isto que somos contrários, mas, combatemos e iremos combater aos que usam do episcopado e em especial aos que usam de títulos para tentar mostrar que são enviados(??) de Deus!!

A questão da mentira dos dízimos nos lugares com placas de igrejas está relacionada ao que há homens que começam tão bem na carreira ministerial [Efésios 4.11] e, depois pegam atalhos para satisfazerem seu egoísmo; estes tais, deixam de servir a Deus e servem agora a Mamon, por isso pedem tanto dinheiro. Pregam a fé, mas não têm fé para deixar que Deus supra as necessidades da Sua obra, mas, a ocasião própria, criam e fundam os chamados ministérios com placas de igrejas e dizem em raciocínio capcioso, feito com intenção de enganar em serem obra e casas de Deus.

Inventaram a tal da "unção financeira" que é moda em quase todas as instituições com placas de igrejas, mas, desconheço qualquer base bíblica que dê sustentação para tal artimanha!! Quando Deus disse que derramaria poder, ou seja, unção, isto seria para a proclamação da simplicidade do evangelho de Cristo, para salvação de almas.

Jesus não ensinou, nem nas entrelinhas, este tipo de abordagem por quem se diz ser de Deus, ao contrário esvaziou-se de Sua glória, nasceu em uma manjedoura, não tinha onde reclinar a cabeça, tinha prazer de ensinar a Palavra nos lugares mais simples onde todos podiam se achegar e ouvir sem ter que "pagar" por isso; não vivia de requintes e luxo, sofreu fome, escarnio, agressões físicas, morte terrível na Cruz, e o que colocaram em Sua cabeça não tinha valor precioso nem roupas requintadas, mas, uma coroa de espinhos;

Jesus não deixou ensinamento sobre a aquisição de veículos para transportes com a dinheiro de ofertas (ou dízimos), por que a Sua vontade está em que tenhamos contatos com as pessoas em nosso dia a dia, por todos os lugares em que passamos (e não que as pessoas vão aos templos religiosos), mas, recebendo a virtude do Espírito Santo, que vindo sobre nós, sermos testemunhas do Seu próprio poder até aos confins da terra...

... como crentes, professos ao Senhor Jesus, não podemos estar receosos em nos firmar pela Verdade, mesmo que fiquemos sozinhos!!


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses da Igreja que Cristo edificou.

.

fevereiro 06, 2012

Dízimo, aliás, taxa, pedágio, encargo, obrigação, ônus...

[730]

Alguns tolos religiosos (geralmente conhecidos como evangélicos) afirmam que entregam os dízimos nas suas instituições religiosas com placas de igrejas por amor...
... dizem que fazem por amor a obra de Deus!

Porém, lugares com placas de “igreja” fundadas por homens não são obra de Deus; é o engodo, crendice, fantasia da filosofia das religiões, a parvoíce evangélica; a verdade pela Palavra de Deus é que as instituições religiosas com placas de igrejas não são obra, e jamais serão a casa de Deus!

Eis a Casa de Deus: “Mas Cristo, como Filho, sobre a Sua própria casa; a qual casa somos nós, se tão somente conservarmos firme a confiança e a glória da esperança até ao fim” [Hebreus 3].
O que são as instituições religiosas com placas de igrejas? São prédios chamados de templos, os lugares comuns que chamam erroneamente de "igreja"; mais precisamente, a maioria das igrejas evangélicas, católica, enfim, todos os prédios de pedras ou tijolos que os religiosos batizam de "santo".
Todos sabemos, e quem entrega também sabem, que os dízimos é uma contribuição, geralmente em dinheiro, que pastores (ou bispos evangélicos, e até católicos) exigem de cada membro para financiar as despesas de interesse religioso, a cargo dos lugares com placa de “igreja”.

O dízimo é um tributo destinado a atender as necessidades gerais da administração religiosa, sem assegurar ao contribuinte qualquer proveito direto em contraprestação a parcela de 10% que pagou; neste particular distingue-se da oferta, a qual se destina a remunerar serviços específicos.

Os dízimos e ofertas nas instituições religiosas é o conjunto de todas as contribuições ou tributos religiosos, são os encargos, obrigações, ônus impostos pelos religiosos que fundam as suas instituições religiosas com placas de “igrejas” e sujeitam a outros que as mantenham.

Os dízimos são mercadorias (religiosas) que são impostos pelas “igrejas” na origem do ganho do suor alheio e não aquele em que se faz sua distribuição aos pobres e necessitados, ou, simplesmente, sua transferência ou remessa para os que realmente necessitam.

Os dízimos é o mesmo que imposto sobre a renda; aquele que recai diretamente sobre o membro da instituição com placa de igreja, em virtude do elevado nível de vida e rendimento dos pastores, bispos evangélicos.

Disfarçados como ofertas, os dízimos incidem sobre os produtos manufaturados religiosos (manutenção dos prédios, salários eclesiásticos);

Algumas instituições religiosas com placas de “igrejas” tem agregado em seus redutos, instituições como creches, clínicas de recuperação de drogados, agências missionárias; infelizmente, estas instituições, de forma filantrópica, são apenas cortina de fumaça para se levantar recursos do Estado, uma vez que, a Constituição Federal deixa clara a não interferência do Estado sobre a administração religiosa (artigo 5º).

O dízimo é a famosa paráfrase religiosa, ou discurso longo e difuso dos religiosos: o chão dá se a gente plantar ou é semeando que se colhe, porém, colher de quem, afinal, quem prometeu mundos e fundos, fez prova e tentou barganhar, foi??
Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles.
E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.
” [Mateus 4]


Por Cristo. Em Cristo. Para Cristo. Nos interesses da Igreja que Cristo edificou.

.

Marcadores

2013 (1) 2014 (1) 25 de dezembro (2) 613 preceitos (1) Abraão (1) Abrão (1) aC (1) Agar (1) Água (1) Ajudadora (1) Alegoria (1) Alianças (5) Alodoxafobia (1) Altar (2) ALTÍSSIMO (1) Alzheimer (1) Amor (3) Amor de Cristo (1) Anorexia Religiosa (1) Antiga Aliança (6) Antigo Testamento (1) Apofenia (1) Apóstolos (2) Arminianos (1) Arrependimento (1) Assalto (1) Autoridade (2) Bancos (1) Barganha (2) Batismo (2) BBB (1) Bebedeira (1) Benesses (2) Beréia (1) Bezerros de Ouro (1) Bíblia (8) Bispas (1) Bispos (2) Brumália (1) Bullying (1) Cabeça (1) Cabresto (2) Cadeia (1) Calvinistas (1) Campanhas (2) Cárcere (1) Cargos hierárquicos (1) Carlos Henrique Abrão (1) Cartilha (1) Casa de DEUS (1) Casas (1) Católica (2) Catolicismo (1) Católicos (11) Ceia (1) Censo 2010 (1) Céus (1) Choramingões (1) Ciência (1) Clero (1) Cobertura Espiritual (4) Código Civil (1) Comércio (1) Comilança (1) Comunhão (2) Concílio de Nicéia (1) Congregação (18) Congregações (4) Congregar (8) Conhecimento (6) Construções (1) Contextualização (1) Contribuições (1) Convencidos (2) Convencimento (2) Conversão (2) Convertidos (2) Coração (1) CORDEIRO de DEUS (3) Corpo de Cristo (1) Correntes (1) Corrupto de Entendimento (1) Costumes (1) Crendice (14) Crendices (62) Crente (5) Crentes (88) CRIADOR (1) Cristianismo (4) Cristo (2) Criticar (1) Cruz (1) Culto (1) Cultos (1) D'us (1) dC (1) Déjà Vu (1) Denominação (1) Denominações (5) Desafio (1) Desembargador (1) Desigrejado (6) Desigrejados (71) Desigrejar (3) Desviado (1) Desviados (2) Deus (5) Dia (2) Dia das Mães (1) Dinheiro (1) Direitos Autorais (1) Discípulo (1) Divindade (1) Dizimista (1) Dízimos (25) Dogma (22) Dogmas (13) Dons (1) Dores (1) Doutores (1) Doutrina de Cristo (4) Doutrina dos homens (5) Doutrinas (3) Dúvidas (1) Edir Macedo (1) Efésios 4.11 (2) Ekklēsia (10) Encontro Social (1) Energia (1) Engano (8) Enganos (1) Engodo (2) Enriquecer (1) Ensino (3) Ensino Religioso (3) Entendimento (9) Episcopado (1) Equívocos (1) Erro (1) Escravidão (1) Escribas (1) Escrituras (1) Espelho (1) Espíritas (2) Espírito Santo (3) Essek William (1) Estudos (2) Eterna (1) Eucaristia (1) Evangelho (4) Evangélico (3) Evangélicos (131) Evangelização (1) Expiação (1) Fábulas (1) Falsidade (1) Família (1) Fanfarrão (1) Fariseus (1) Farra (2) (1) Festa dos Tabernáculos (1) Feudos (1) FGV (1) Fiéis (1) Filosofia (2) Finanças (1) Fogo (1) Formalismo (1) Fraude (1) Frutos (1) Fundamentalismo (2) Ganância (1) Gentios (1) Globo (1) Glória (2) Gospel (2) Graça (2) Hebreus 10.25 (1) Hebreus 13.17 (1) Hebreus 13.7 (1) Hipocrisia (2) História (1) Homem (1) Honra (2) Humildade (1) IBGE (1) ICAR (4) Idioscópico (1) Idiotização Coletiva (2) Igreja (29) Igreja de Cristo (10) Igreja Denominacional (1) Igreja Física (4) Igreja Institucional (12) Igreja Instituição (88) Igreja local (1) Igreja no Lar (6) Igreja Perfeita (1) Igreja Regular (1) Igrejado (1) Igrejas (9) Igrejas Evangélicas (7) Igrejas nos Lares (1) Igrejolas (5) Igrejotas (1) Imunidade tributária (1) Inimigos (1) Instituição (1) Instituições Religiosas (19) Inteligência (1) Interpretação (1) Invenção (1) Ira (1) (1) João Batista (1) João Ferreira de Almeida (1) Judas (1) Julgar (1) Justiça (1) Justificação (1) Laço (1) Lacraias religiosas (1) Ladrão (1) Lar (1) Legalismo (2) Lei Mosaica (1) Liberdade (2) Libertinagem (1) Lideranças Eclesiásticas (15) Lideres Religiosos (3) Liturgia (2) Livros (1) Lobos (1) Lugar Apelidado de igreja (3) Luteranos (1) Luz (1) Mãe (1) Malafaia (1) Males (1) Mamom (1) Mamon (1) Manipulação (1) Martinho Lutero (1) Mediador (1) Medo (2) Membros (1) Meninos na Fé (2) Mentira (7) Mentiras (19) Mercenário (1) Milagres (1) Missionários (2) Morte (1) Mulher (1) Murmuração (1) Música (1) Nascediço (1) Nascimento (1) Natal (5) Natalis Invicti Solis (1) Neotestamentário (1) Nicar (1) Nomes e Placas (1) Normas (1) Nova Aliança (5) Obediência (1) obreiros (1) Obstáculo (1) Ofertas (6) Oportunistas (1) Oração (1) Organização (1) Ovelhas (1) Paganismo (1) Palavra (1) Palavra de Deus (3) Pão da Vergonha (1) Pão do Céu (1) Papai Noel (1) Pareidolia (1) Páscoa Católica (1) Pastor (2) Pastores (11) Paz (1) Pecado (1) Pecúlio (1) Pentecostais (2) PhD (1) Placas (1) Pobres (2) Prédios (1) Presbiterianos (1) Presentes (1) Prioridade (1) Prisão (1) Prodígios (1) Profano (2) Profetas (1) Protestantes (2) Psicanálise (1) Psicopatologia (1) Púlpitos (1) R.R. Soares (1) Reconciliação (1) Record (1) Reembolso (1) Reforma (1) Reformados (1) Regras (1) Religião (1) Religiões (6) Religiosidade (5) Religiosos (6) Reuniões (2) Reuniõres (1) Riquezas (1) Rituais (1) Ritual (1) Roubo (1) Sabedoria (4) Sacerdócio (2) Salvação (2) Santa Ceia (1) santidade (2) Santidade Mórbida (2) Santificação (3) Sara (1) Sarai (1) Saturnália (1) Secular (1) Semente (1) Servos (2) Silas Malafaia (1) Simpatia (1) Sinais (1) Sistema Religioso (5) Sistematização (1) Sites (1) Sofisma (47) Sofismas (2) Sofismo (1) Templo (3) Templos (12) Teologia (7) Teologia da Prosperidade (1) Teologias (1) Títulos (1) Títulos Eclesiásticos (2) Tolerância (1) Tolices (1) Tradições (6) Traduções (1) Unção (1) Ungidos (1) União (1) Usos (1) Valdemiro Santiago (1) Verdade (28) Verdade Histórica (1) Verdades (1) Vida (2) Vida Eterna (3) Vitória em Cristo (1) Vitória Financeira (1) Zombar (1)